Domingo, 03 de Janeiro de 2010

 

 

 

"Pede-me o que quiseres, eu dar-te-ei."

 

  Haverá melhor frase para te explicar ,para me expressar?

  Não precisas que eu escreva muito ou quase nada, os nossos dias juntas abafam a expressão verbal dos sentimentos, e acrescentam recordações à nossa vida.

  Sim, tivemos altos e baixos, como aqueles dias em que o clima se torna indeciso, em que as nuvens chocam e trovejam, em que os raios do sol se misturam com a água e formam o brilhante arco-íris.

  No fundo,somos como o Sol e a Água..Somos dois elementos essenciais na Terra, em que por vezes chocamos,mas queremos tanto bem ao Mundo que juntas,tornamo-nos imbatíveis.

   Foram com pequenas e míseras saudações que isto tudo começou, pequenas e míseras saudações que formaram diálogos e trocas de ideias, que nos tornaram contadoras de histórias e personagens de filmes, cúmplices de confissões e hóspedes das nossas casas..Levaram-nos de um conhecimento para uma amizade, e transformaram o mundo às nossas condições.. Somos tão diferentes por fora, mas tão iguais por dentro que até nos surpreendemos a nós próprias...Vivemos as mesmas emoções ao mesmo tempo, pelas mesmas razões,pelos mesmos sentimentos...

  Partilho contigo a minha visão do Mundo, os meus sonhos e medos, os meus risos e lágrimas, as minhas revoltas e vitórias, e espero sempre que lá estejas...és a minha força, o meu refúgio, o meu saco de boxe e o meu peluche amoroso..

  Se me pedires o Sol, eu dou-te, se me pedires a Água, eu dou-te, se me pedires o Mundo,eu dou-te, tudo para que continues aqui,comigo,como duas gotas de água que se formam e vivem a intensidade da sua queda juntas, como duas folhas que crescem na estação primaveril,observam o mundo e depois são sacudidas pelo vento,juntas. Somos tudo, sem excepção!

   Se me pedires a vida,a felicidade e o céu,eu dou-te...dou-te o possível e o impossível,o real e o imaginário,mas dou-te.

  E é como digo: o ano passou,a amizade mantém-se!

 

Minha chu,minha irmã,minha amiga, meu anjo!Conto contigo para sempre e garanto-te que faço tudo para te ver feliz!

  


Feelings: agradecida
Song: A do Dr. House

publicado por merosrabiscos às 01:56
Domingo, 27 de Dezembro de 2009

 

 

 

 

 FUI INVADIDA!

 Sim,completamente invadida...Invadida por uma melancolia chata e que faz pesar a alma,invadida por uma enorme saudade daqueles que mais longe se encontram,invadida por uma enorme saudade de voltar àquele lugar que me viu nascer, que me viu passar pelas diferentes etapas da vida, desde o primeiro choro de vida,até hoje..

 Fui invadida por uma enorme vontade de estalar os dedos e materializar-me lá,no meu sitío preferido, com uma visão para o mar e para os pequenos barcos de pesca que boiam em cima dele..Fui invadida por uma enorme vontade de chorar até me vir o sono,agarrada às eternas almofadas que já carregam lágrimas de outros tempos,mas não consigo...

  Fui invadida por uma enorme vontade de voltar à zona mais movimentada, de percorrer as ruas perto da praia, apinhadas de barulho e preenchidas de vida,vicios e comércio, onde o cheiro da gastronomia é sentido..Fui invadida por uma enorme vontade de voltar ao parque da minha infância e redescobrir aquele pequeno mundo, de observar os animais e correr descalça sob a relva verde..De voltar a alimentar os cisnes que nadam no lago sob a pequena ponte de madeira, de poder voltar a sentir o vento na cara ao andar de baloiço..

  Fui invadida por uma vontade de pegar hoje mesmo nas minhas coisas e voltar para lá, e começar tudo de novo,mas sei que ainda tenho que esperar algum tempo.

  E no meio destas súbitas, e mistas invasões, sei que só serei invadida por aquela paz que tanto anseio,quando estiver lá, eu e o mar, eu e a Baía, eu e eles todos..


Feelings: melancólica
Song: You're Not Alone-Michael Jackson

publicado por merosrabiscos às 23:32
Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

  Hoje, fui a minha casa, à minha verdadeiraeterna   casa!!

  Sim hoje fui a Cascais, ver um museu de pintura que há lá..

  É aqui que devo agradecer a expressão: "Lar doce lar"..Já tinha saudades do barulho insuportável que toda a gente odeia mas que eu adoro, já tinha saudades do movimento citadino de que toda a gente se tenta escapar, já tinha saudades de olhar para o horizonte e não ver paisagens alentejanas, cobertas pelo verde das ervas e agora,pelo branco da geada, mas sim o mar,o azul eterno do mar,a linha que o une ao céu, de ver os barcos navegar ao sabor do vento, já tinha saudades de abrir a janela do carro e sentir o doce e tão familiar cheiro a maresia..

 Sim,mas do que eu tinha mais saudades era de te ver lá, com a tua bicicleta cintilante a fazer aquelas acrobacias e saltos mirabolantes( sim eu vi-te a fazer quando te foste embora), de ver o teu gorro com aquele alto estúpido, de te ouvir a rir e a olhar para mim..

  Assim que te vi, tudo mudou dentro de mim: o sangue correu mais depressa, deixei de sentir frio pela velocidade a que o meu coração batia, começei a tremer e a rir, e os meus olhos,estes olhos castanhos ganharam aquele brilho há muito perdido..

  Assim que te vi,mesmo a poucos passos de mim, não hesitei: encurtei aquela distância com uma corrida e lancei-me para os teus braços,chamando-te mongo.Não hesitaste e abraçaste-me também.Bolas,como eu sentia falta de abraços como esses, como a minha memória não falhava ao comprovar que o teu cheiro ainda era o mesmo,que o teu riso não mudara nestes meses...no fundo,não mudaste nada,e ainda bem...

  Reparei nos olhares que as minhas colegas lançaram por estares ali comigo porque não tinha como esconder: estava eléctrica pelo simples facto de estares ali ao meu lado, à distância de um toque, por voltar a ter a certeza que não és apenas aquele que povoa os meus sonhos e pensamentos, mas sim seres real.

  Julguei que a distância me ajudaria a esquecer,mas as coisas boas nunca se esquecem, ...e eu não consigo esquecer que apesar de tudo,ainda sinto um carinho por ti,como se fosses um irmão que ganhei. Oh bolas, isto é tão estranho, e ao mesmo tempo, tão familiar...Devia ter prestado atenção às pinturas, à explicação dos professores, mas não consegui, porque andava aos segredinhos contigo e a rir, como se tivéssemos outra vez 5 anos...Foi tão bom ouvir-te dizer que ias lá de propósito para me veres*.*

   Custou-me imenso ir embora, como sempre,pois só ali me sinto completa e me sinto mesmo EU,mas teve de ser..Custou-me deixar-te e ver-te partir mas fui embora com um sorriso no rosto,as face coradas e um brilho nos olhos, enquanto o meu coração guardava este momento e se dividia em dois, levando metade comigo,e deixando a outra metade com vocês e com Cascais...Atravessei a ponte que separa os meus dois mundos, mas sei a qual deles pertenço realmente, e esse,ficou do outro lado do Tejo...

 

 

 


Feelings: Nem eu sei explicar
Song: Martin Jondo- Little Closer

publicado por merosrabiscos às 22:50
"A escrita é a pintura da voz." (Voltaire)
mais sobre mim
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO