Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

  Hoje, fui a minha casa, à minha verdadeiraeterna   casa!!

  Sim hoje fui a Cascais, ver um museu de pintura que há lá..

  É aqui que devo agradecer a expressão: "Lar doce lar"..Já tinha saudades do barulho insuportável que toda a gente odeia mas que eu adoro, já tinha saudades do movimento citadino de que toda a gente se tenta escapar, já tinha saudades de olhar para o horizonte e não ver paisagens alentejanas, cobertas pelo verde das ervas e agora,pelo branco da geada, mas sim o mar,o azul eterno do mar,a linha que o une ao céu, de ver os barcos navegar ao sabor do vento, já tinha saudades de abrir a janela do carro e sentir o doce e tão familiar cheiro a maresia..

 Sim,mas do que eu tinha mais saudades era de te ver lá, com a tua bicicleta cintilante a fazer aquelas acrobacias e saltos mirabolantes( sim eu vi-te a fazer quando te foste embora), de ver o teu gorro com aquele alto estúpido, de te ouvir a rir e a olhar para mim..

  Assim que te vi, tudo mudou dentro de mim: o sangue correu mais depressa, deixei de sentir frio pela velocidade a que o meu coração batia, começei a tremer e a rir, e os meus olhos,estes olhos castanhos ganharam aquele brilho há muito perdido..

  Assim que te vi,mesmo a poucos passos de mim, não hesitei: encurtei aquela distância com uma corrida e lancei-me para os teus braços,chamando-te mongo.Não hesitaste e abraçaste-me também.Bolas,como eu sentia falta de abraços como esses, como a minha memória não falhava ao comprovar que o teu cheiro ainda era o mesmo,que o teu riso não mudara nestes meses...no fundo,não mudaste nada,e ainda bem...

  Reparei nos olhares que as minhas colegas lançaram por estares ali comigo porque não tinha como esconder: estava eléctrica pelo simples facto de estares ali ao meu lado, à distância de um toque, por voltar a ter a certeza que não és apenas aquele que povoa os meus sonhos e pensamentos, mas sim seres real.

  Julguei que a distância me ajudaria a esquecer,mas as coisas boas nunca se esquecem, ...e eu não consigo esquecer que apesar de tudo,ainda sinto um carinho por ti,como se fosses um irmão que ganhei. Oh bolas, isto é tão estranho, e ao mesmo tempo, tão familiar...Devia ter prestado atenção às pinturas, à explicação dos professores, mas não consegui, porque andava aos segredinhos contigo e a rir, como se tivéssemos outra vez 5 anos...Foi tão bom ouvir-te dizer que ias lá de propósito para me veres*.*

   Custou-me imenso ir embora, como sempre,pois só ali me sinto completa e me sinto mesmo EU,mas teve de ser..Custou-me deixar-te e ver-te partir mas fui embora com um sorriso no rosto,as face coradas e um brilho nos olhos, enquanto o meu coração guardava este momento e se dividia em dois, levando metade comigo,e deixando a outra metade com vocês e com Cascais...Atravessei a ponte que separa os meus dois mundos, mas sei a qual deles pertenço realmente, e esse,ficou do outro lado do Tejo...

 

 

 


Feelings: Nem eu sei explicar
Song: Martin Jondo- Little Closer

publicado por merosrabiscos às 22:50
oh , olha a comparar contigo não é nada :o
por preencher a 16 de Dezembro de 2009 às 11:16

"A escrita é a pintura da voz." (Voltaire)
mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18

21
22
23
26

31


pesquisar neste blog
 
Visits
My music
blogs SAPO